terça-feira, 21 de maio de 2013

Este post pode conter vestígios de amendoins. 

Bom dia, boa tarde e boa noite. Hoje vou tagarelar acerca da vida ou, mais sintetizadamente, abordar questões e respostas relacionadas com a vida em jeito de encher este post com alarvidades que podem ou não chocar algumas mentes. Para começar, queria, antes de mais, mandar beijinhos para todas as pessoas que me lêem e pelo bom gosto que possuem. Bem, vamos lá a começar esta merda antes que se faça tarde, que a minha vida não é isto:

1) Vida, nascimento. Crescimento de bebés que saem do útero de uma mulher, cheios de sangue, que podem vir ou não a ser psicopatas no futuro, ou médicos ou doadores de orgãos, qualquer merda que inclua cortes profundos e nojentos. É giro, eu apoio. É muito interessante a população crescer, nem que seja para não vivermos sozinhos, se bem que às vezes bem nos apetece, nem que seja para dormir sossegado sem os ruídos abichanados do vizinho do lado de madrugada.

2) Coisas derivadas do livre arbítrio: o livre arbítrio é uma coisa que acontece que é termos liberdade de decidir coisas a partir do momento em que nascemos sem nos pedirem opinião se queremos nascer ou não. Faz parte da nossa vida todos os dias, quando acordamos de manhã e temos a liberdade de escolha se queremos vestir uma camisa ou uma camisola, por exemplo, depende do frio, sei lá. É algo que se pode associar a muitos casos da nossa vida real, excepto quando somos atropelados por carros na passadeira ou alguém nos empurra para a linha de comboio sem darmos conta.

3) O sentido da vida é um caminho determinado e estúpido que a maior parte das pessoas procura. Pode estar relacionado, talvez, com a felicidade ou com a falta de inteligência. A verdade é que não se sabe bem que merda é essa, mas muita gente procura. É mais ou menos como ser rico ou, no exagero, ser bastante muito rico. Há quem refira que encontre o sentido da vida com determinada pessoa, cargo ou situação favorável. Mas depois as coisas acabam e algumas dessas pessoas referem que afinal nada disso fez sentido. 

4) Porcarias para encher: durante o período de crescimento as pessoas têm dúvidas e procuram respostas muitas vezes junto de familiares ou amigos mais grandes que já possam ter passado pelas mesmas dúvidas. Algumas pessoas procuram essas respostas a deus, a alá ou o caralho, algumas vão a cartomantes e gastam uma pipa de massa. Mas o importante é que encontrem respostas, seja no tarot, seja na nossa senhora de fátima, seja a comprar respostas a belzebu para o exame da vida. O mais importante de tudo é sermos todos felizes e ninguém me chatear a puta da cabeça.

5) Ponto 5. Este é o quinto ponto e o ponto número cinco que vai ser o último ponto desta caralhada toda. Se o leitor chegou até aqui, parabéns, finalmente aprendeu alguma coisa, tanto tempo a estudar e afinal só valia a pena ler estas merdas que eu escrevi, não se sente mal? Paciência. Se o leitor é um daqueles que não gosta de ler merdas grandes, como a minha irmã, e só aparece no blog para cuscar e, quiçá, ler as últimas linhas do post em jeito de fazer um resumo, você perdeu a oportunidade de se tornar alguém mais completo. Paciência também. Culpe deus ou papa, ou o caraças.

Saudações filosóficas,
Dioguinho.

16 comentários:

Rafeiro Perfumado disse...

Vem aqui a malta cheia de boas intenções e leva logo com beijinhos, por muito que eu me tivesse tentado esquivar. Adiante... interessantes as tias dissertações sobre a vida, se bem que eu adicionaria um sexto ponto. Exacto, esse mesmo. Abraço!

dioguinho disse...

foda-se, eu bem sabia que me faltava qualquer coisa..

Jovita Capitão disse...

Muito interessante, de facto! Gosto da maneira como escreves. Directo e sem papas na língua. Parabéns e continua.

http://rainhadasinsonias.blogspot.pt/

Miúda disse...

é uma historia diferente, nem costumo gostar mt deste tipo de filmes, todos futuristas e tal, mas ate nao ta mau este :)

Mary Brown disse...

Consegui chegar até ao fim e li tudo. Gosto de dissertações, de as ler e de as fazer. Ultimamente não as passo para o papel, o tempo é escasso, mas mentalmente são diárias. Tenho uma certa dificuldade em provar que não sou robô mas, mesmo assim, prometo passar por aqui mais vezes.

dioguinho disse...

Já tirei o robot, não há mais robot para ninguém. obrigado pessoas de deus, pelo carinho que demonstram. quem diz de deus diz de outra merda qualquer.
saudações espirituosas.
como o bacalhau.

Audrey Deal disse...

Tu és ganda maluco não és?

dioguinho disse...

não. só tenho um metro e setenta.

- Patrícia Barros ॐ disse...

porque é que dizes isso?

dioguinho disse...

é ironia, dá-se na escola.
ahaha pah sei lá, estou so no gozo.

Carolina disse...

parece-me que não percebeste o que quis dizer com aquilo, nem tudo tem de ser interpretado tão literalmente.

Nini disse...

Adoro a tua maneira de escrever! Estive aqui a ler os teus posts e, sem dúvida, não tens papas na língua e dizes aquilo que tens a dizer. Sinceridade acima de tudo. Adorei o teu blog! Sigo :)

ParadoXos disse...

"O sentido da vida é um caminho determinado e estúpido que a maior parte das pessoas procura"


GRANDE regresso!!

gostei esta tua nova roupagem!

abraços

ParadoXos disse...

lembro-me dessa foto que tens no perfil :-)

dioguinho disse...

saudações gritantes,
caros amigos!

AHHHHHHHHHHHHHH!

o teu pirilampo disse...

hum... um ponto sobre a daniela? iria gostar muito, e decerto que ela também.